foto_jp_36

FINAL DO CAMPEONATO ACRIANO 2013

Um jogo digno de decisão. Com um bom público no estádio o Florestão, o Plácido de Castro entrou para a história do futebol acreano. No ritmo do show de funk da Gaiola das Popozudas, o Tigre do Abunã deu um baile no tempo normal e venceu o Rio Branco por 3 a 0, pela partida de volta da final do Estadual. Nas penalidades, o time da fronteira conquistou o título inédito ao bater o Estrelão por 4 a 2.
De quebra, o Plácido de Castro garantiu a vaga do Acre no Campeonato Brasileiro da Série D 2013 e estreia na competição no próximo sábado (1°), contra a equipe do Paragominas, em casa.
 
Equilíbrio
A decisão começou com os times criando a mesma quantidade de chances de gol. De um lado, o Rio Branco, sem o meio-campo Testinha (que foi vetado pelo departamento médico momentos antes da partida), teve dificuldade no setor de criação. Do outro, o Plácido de Castro esbarrou na ansiedade de um time que ainda não havia conquistado um título estadual.
Logo no início da partida, o Estrelão quase abriu o placar. Aos três minutos, Ananias cruzou, o artilheiro Juliano César e cabeceou bonito na trave. Antes, porém, o goleiro Robson chegou a desviar a bola. Aos 10, mais uma oportunidade estrelada. Neném tabelou com Juliano César, chutou da entrada da área e Robson fez grande defesa.
O Tigre do Abunã respondeu à altura. Aos 16 minutos, Zagalo fez o cruzamento e a bola foi direto para o gol. Atento, o goleiro Douglas espalmou. Três minutos depois, Renatinho arrancou, driblou o zagueiro Eric e chutou forte para fora.
A melhor chance da etapa inicial foi do time do interior. Aos 38 minutos, Zagalo cobrou escanteio, Cabeça desviou e a bola bateu na trave. No rebote, Renan Plácido desperdiçou.
 
Na empolgação
O segundo tempo foi marcado pelo embalo do jovem time do Plácido de Castro. Com o apoio da torcida, o Tigre do Abunã fez dois gols relâmpagos.
Aos 13 minutos, em contra-ataque rápido, Renan Plácido deixou Renatinho frente a frente com Douglas. O meia placidiano não desperdiçou e abriu o placar com um chute cruzado. Sete minutos depois, Sandro Goiano cruzou e Renan Plácido pegou bonito de primeira: 2 a 0 para o Tigre e festa nas arquibancadas do Florestão.
Para garantir a vitória no tempo normal, a equipe comandada pelo técnico Nilton Nery fez o terceiro. Joel arrancou do meio-campo, tabelou com Renan, invadiu a área pela esqquerda e chutou cruzado: 3 a 0. Gol de placa.
 
Prorrogação
No tempo regulamentar, o clima de tensão tomou conta dos jogadores. Visivelmente cansadas, as duas equipes não se arriscaram muito e o placar ficou em 0 a 0.
Na melhor oportunidade, no segundo tempo da prorrogação, Marcelo Brás deixou Pretinho livre na área. O atacante alvirrubro chutou e o goleiro Robson fez uma defesa milagrosa.
 
Melhor goleiro
Nas penalidades, o jovem goleiro do Plácido de Castro, Robson, mostrou porque está sendo indicado como o melhor arqueiro da competição. Ele defendeu dois pênaltis e garantiu a vitória do Tigre do Abunã por 4 a 2.

Por:  http://globoesporte.globo.com/ac